Passageiros começam a rejeitar Fokkers 100

Os recentes acidentes envolvendoFokkers 100 deixaram os passageiros preocupados e alguns já serecusam a voar nesses aviões. No dia 30, o mesmo em que doisFokkers da TAM apresentaram problemas nos vôos, a operadora deviagens GG Turismo, de Volta Redonda, no Rio, anunciava que umFokker fora fretado para levar uma comitiva de 79 empresários doClube de Diretores Lojistas local a um congresso em Fortaleza.Resultado: tiveram 24 horas para providenciar a troca do avião. Os passageiros concordaram em pegar um vôo de linha daVarig, num MD 11, com escala em Natal, apesar de a viagem seruma hora mais longa. "Tivemos de nos empenhar muito para alocartanta gente em um mesmo vôo, mas eles disseram que não iriam noFokker 100", conta a diretora da agência, Patrícia Leal. Outro problema recente, de acordo com ela, foi a recusade um passageiro a entrar em um Fokker, no momento do embarque."Foi preciso todo o grupo conversar com ele paraconvencê-lo." O fato é que muitos já temiam o modelo desde a tragédiade 1996, quando 99 pessoas morreram na queda do vôo 402 da TAM.As estatísticas do site especializado em segurança aeronáuticaAirSafe.com mostram, porém, que o avião não é particularmenteperigoso. O Fokker 100 registra 0,33 acidentes fatais por milhãode decolagens, ante 0,84 de um MD 11, por exemplo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.