Partilha da CPMF ´não é discussão principal´, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira que a partilha da arrecadação da Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF) entre União e Estados, defendida pelos governadores, não é a questão principal do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)."O principal é colocar o PAC para funcionar", afirmou o presidente, após participar da primeira ação prevista pelo programa - a assinatura de um contrato de R$ 2,47 bilhões para a construção de dez navios da Transpetro, empresa vinculada à Petrobrás.Lula sugeriu, ainda, que os governadores criem PACs nos Estados para a inclusão de demandas que, eventualmente, não estejam previstas no programa da União. "Eu sugiro que cada governador crie seu PAC estadual, e cada prefeito, seu PAC municipal", afirmou Lula. "Assim, teremos uma combinação de obras".O presidente disse ainda acreditar que quaisquer divergências em torno do PAC, neste momento, "são irrelevantes diante da grandeza e da monstruosidade de recursos". Ele afirmou duvidar que alguém seja contrário ao programa, lançado na semana passada. "Eu não acredito que tenha qualquer cidadão brasileiro contra o PAC".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.