Partidos se reúnem para tentar tirar voto fechado da reforma

PSB e sete partidos alegam que proposta do texto tira do eleitor o direito de escolher seu candidato

Agência Brasil

26 de maio de 2009 | 13h21

A reforma política continua em discussão na Câmara. À tarde, oito partidos que são contra uma das principais propostas do texto, o voto em lista fechada, se encontram. A liderança do PSB promove a reunião, que vai definir a estratégia para derrubar a proposta. Além do PSB, os sete partidos contrários, como o PR, o PP e o PDT, alegam que o voto em lista fechada tira do eleitor o direito de escolher seu candidato e fere os princípios democráticos.

 

O PSDB também se reúne para definir a estratégia na análise da matéria. Até o momento, o partido não fechou questão na proposta e pode ser decisivo na hora da votação.

 

Em reunião de líderes na semana passada, ficou acordado que seria apresentado um requerimento de urgência à proposta de reforma política na sessão plenária de quarta-feira. Com isso, a matéria teria uma tramitação mais rápida na Câmara. Mas, para aprovar esse requerimento, é preciso o voto da maioria: 257 deputados.

Mais conteúdo sobre:
Reforma políticavoto fechado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.