Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Partidos implicados na Lava Jato votam a favor de punição a juízes e membros do MP

PT, PMDB e PP são as bancadas que mais aprovaram proposta

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2016 | 17h49

BRASÍLIA - Uma das propostas mais polêmicas incluída no pacote anticorrupção, a que cria a possibilidade de punir juízes e integrantes do Ministério Público Federal por abuso de autoridade, foi aprovada por um placar de 313 votos a 132. Apesar de deputados de praticamente todos os partidos da Câmara terem apoiado a medida, PT, PMDB e PP foram as bancadas que mais deram votos para a proposta.

No PT, apenas um dos 55 deputados votou contra a medida - o ex-presidente do Corithians Andres Sanchez (SP), investigado na Operação Lava Jato. No PMDB, 46 dos 56 deputados votaram a favor da medida e, no PP, o placar foi de 34 dos 42.

Os três partidos têm diversos integrantes investigados pela Lava Jato. A força-tarefa que comanda as investigações viu a aprovação da proposta como uma retaliação ao trabalho do grupo e, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 30, ameaçaram renunciar os trabalhos dessa investigação caso a proposta avance no Legislativo e seja sancionada pelo presidente Michel Temer.

No PDT, cujo líder Weverton Rocha (MA) foi o autor da proposta, o apoio também foi em peso. Dos 15 deputados, apenas um votou contra.

No PSDB, por sua vez, a maioria dos deputados votou contra a medida. Foram 32 votos contra e 10 a favor.

Também votaram em peso contra a proposta os parlamentares de legenda com baixa representatividade na Câmara, como PSOL, Rede, PROS e PMB.

Pela proposta, juízes, procuradores e promotores poderão ser processados e condenados a cumprir pena de seis meses a dois anos de reclusão caso fique comprovado que eles cometeram abuso de autoridade.

Veja lista completa de como votou cada deputado aqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.