Partidos apresentam nomes para CPI do dos Grampos em PR

As lideranças partidárias da Assembléia Legislativa apresentaram nesta segunda os nomes dos deputados que integrarão a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Grampo Telefônico. O objetivo é investigar qual o suposto relacionamento que o policial civil Délcio Rasera, preso pela Promotoria de Investigações Criminais (PIC), do Ministério Público Estadual, tinha com o governo do Estado.Rasera foi preso sob acusação de realizar escutas ilegais de telefone. Entre os documentos apreendidos com ele estão cartões de visita, em que se apresentava como assessor do governo. O policial prestava serviços na Casa Civil. Sua prisão, no dia 5 de setembro, foi muito explorada durante a campanha eleitoral.De acordo com requerimento do deputado Nereu Moura (PMDB), a investigação sobre escutas telefônicas em órgãos e secretarias do Governo do Paraná abrangerá os últimos 12 anos. A CPI será composta por sete deputados e terá 120 dias para apresentar o relatório final.Um requerimento apresentado pelo deputado Valdir Rossoni (PSDB) restringia a investigação apenas ao policial civil Délcio Rasera, que trabalhava na Casa Civil do governo e foi preso no início de setembro sob acusação de grampo ilegal. O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Hermas Brandão (PSDB), considerou que o pedido de Moura é anterior e precisa ser considerado. Porém, a investigação mais abrangente, não exclui a proposta por Rossoni.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.