Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Partido de Crivella atribui prisão à judicialização da política e defende prefeito

Executiva Nacional divulgou nota dizendo acreditar na idoneidade de Crivella; prefeito afirmou que prisão preventiva é motivada por 'perseguição política'

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

22 de dezembro de 2020 | 11h35

BRASÍLIA - O Republicanos, partido de Marcelo Crivella, saiu em defesa do prefeito do Rio, preso nesta terça-feira, 22, em uma ação da Polícia Civil . Em nota, a legenda presidida pelo deputado Marcos Pereira (SP) disse acreditar na "idoneidade" do prefeito e criticou a chamada judicialização da política.

"A Executiva Nacional do Republicanos aguarda detalhes e os desdobramentos da prisão do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. O partido acredita na idoneidade de Crivella e vê com grande preocupação a judicialização da política", diz a nota do Republicanos.

O posicionamento do partido está alinhado à primeira manifestação de Crivella após ser preso preventivamente na manhã desta terça-feira, 22. Ao chegar à Cidade da Polícia, no bairro do Jacarezinho, na zona norte do Rio, o prefeito atribuiu sua prisão a suposta "perseguição política" e disse esperar por Justiça.

"Lutei contra o pedágio ilegal, tirei recursos do carnaval, negociei o VLT, fui o governo que mais atuou contra a corrupção no Rio de Janeiro", declarou Crivella.

O Republicanos é um dos partidos aliados ao governo de Jair Bolsonaro. Pereira, que tinha intenção de disputar a presidência da Câmara dos Deputados em 2021, decidiu na semana passada apoiar o bloco comandado pelo deputado Arthur Lira (PP-AL).

O próprio Crivella foi apoiado por Bolsonaro e sua família em sua tentativa frustrada de reeleição. A sigla, aliás, abriga atualmente o vereador carioca Carlos Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro, ambos filhos do presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.