Partidários ironizam campanha provocativa de Garotinho

Partidários do secretário de Segurança do Rio, Anthony Garotinho, ironizaram hoje a idéia do ex-governador de criar o movimento "Acorde Lula, antes que seja tarde", em defesa das promessas de campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Único representante do partido no primeiro escalão do governo, o ministro de Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, disparou: "O presidente tem despertador, não precisa da colaboração do Garotinho". Também o líder do PSB na Câmara, deputado Eduardo Campos (PE), e o senador Geraldo Mesquita (PSB-AC) ironizaram a iniciativa de Garotinho. Para Campos, Lula, "como bom nordestino, acorda cedo, senão não teria saído de Caetés para ser Presidente da República". O senador Mesquita provoca o companheiro de partido: "Lula está mais acordado do que Garotinho. Garotinho é muito irrequieto, eu louvo esse aspecto dele, mas acho que ele toca em coisas que não têm nada a ver".Para o ministro Amaral, a posição do PSB na votação das reformas da previdência e tributária será a que foi adotada pela Executiva Nacional do partido, e não a que interessa ao secretário de segurança do Rio. "O PSB está na base do governo, está satisfeito de estar na base do governo", lembrou. "A comissão Executiva Nacional fechou questão para a aprovação das reformas e isso é o que interessa". Roberto Amaral disse não saber o tamanho da ala do partido descontente com o teor das reformas. Sem se referir diretamente a Garotinho, o ministro admitiu a possibilidade do PSB "aplicar o estatuto" contra quem desobedecer a orientação da Executiva. "O que eu sei é que a questão está fechada e se alguém descumprir, aplica-se o estatuto".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.