Ed Ferreira / AE 17.08.2011
Ed Ferreira / AE 17.08.2011

Parte do PMDB defende saída de Pedro Novais

Avaliação é que o ministro trouxe mais desgaste ao partido ao defender o ex-secretário Frederico Costa

EUGÊNIA LOPES, Agência Estado

23 de agosto de 2011 | 13h23

Em encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer, na segunda-feira, 22, à noite, parte do PMDB defendeu a saída do ministro Pedro Novais (PMDB-MA) da pasta do Turismo. Na avaliação de peemedebistas, o ministro trouxe mais desgaste para o partido ao defender o ex-secretário Executivo da pasta Frederico Costa, um dos presos pela Operação Voucher, da Polícia Federal. Na semana passada, Novais disse em depoimento na Câmara que Fred, como é conhecido, foi uma indicação sua. "Ele (Novais) causou um constrangimento muito grande para a bancada. Ele tirou um problema do colo do PT e pôs no do PMDB", reclamou um dos 15 deputados, que participou da reunião com Temer.

Temer promoveu na segunda à noite um encontro com parte da bancada do PMDB que está descontente com o líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). O estopim para a insatisfação é a escolha do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para relatar o Código Civil. "O Henrique está alimentando a cisão na bancada. Acho impossível ele (Henrique) ser o presidente da Câmara com o PMDB dividido", alertou um outro participante do encontro com Temer. Apesar das pressões, Henrique estaria disposto a manter Eduardo Cunha na relatoria.

Ontem, cinco organizações - a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), a Associação Nacional do Ministério Público Militar (ANMPM) e a Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) - enviaram ofício para o vice-presidente Temer e o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), reivindicando que a relatoria do Código seja preenchida "um deputado federal com formação jurídica compatível com a profundidade e complexidade da matéria".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.