Parlamentares vão a Taiwan tentar trazer Iruan

Uma missão de parlamentares gaúchos deverá ir a Taiwan para pressionar o governo e a Justiça da ilha chinesa a repatriar o menino brasileiro Iruan Ergui Wu, de 5 anos. Órfão de pai e de mãe, ele está sendo retido há mais de cem dias pelo tio paterno, Huer Eam Wu, que rejeitou um acordo com a família brasileira para devolvê-lo.Como Brasil e Taiwan não mantêm relações diplomáticas, a única maneira legal de Iruan voltar a Canoas (RS), onde vivia até março, será por decisão do Judiciário taiwanês, a partir de uma ação movida no próprio país.A princípio, as leis de Taiwan garantiriam o direito da avó materna, Rosa Leoádia Ergui, criar o menino, mas o processo pode se alongar por mais de um ano, de acordo com o diplomata Paulo Pereira Pinto, que chefia o escritório de representação comercial do Brasil. Temerosos com a situação, os familiares brasileiros querem intensificar a campanha internacional pela volta de Iruan ao Brasil.O governador do Rio Grande do Sul, Olívio Dutra (PT), comprometeu-se hoje em interceder com o presidente Fernando Henrique Cardoso para que o governo brasileiro amplie seus esforços e assuma um posicionamento político no caso.Os deputados gaúchos também realizaram hoje uma reunião para tratar do assunto e tentarão um audiência com FHC para reforçar o pedido. A idéia é que o governo brasileiro coloque advogados à disposição da família brasileira em Taiwan e deflagre uma campanha na Sessão Especial da ONU sobre a Criança, que se realizará entre 19 e 21 de setembro em Nova York, Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.