Parlamentares negam influência de doadores

Atualizada em 2 de junho, às 14h55

O Estado de S.Paulo

01 Junho 2014 | 02h02

Deputados e senadores que receberam doações de campanha de empresas fornecedoras da Petrobrás negaram ao Estado que isso vá influenciar as investigações da CPI. O relator, deputado Marco Maia (PT-RS), que ganhou R$ 40 mil da Gerdau Comércio de Aços S.A. e R$ 50 mil da Mendes Junior Trading Engenharia, garantiu que "se a CPMI identificar algum parlamentar ou alguma empresa que tenha agido de forma ilegal, serão apontados e responsabilizados". O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), que recebeu R$ 500 mil da Camargo Corrêa, disse ter "compromisso zero" com doadores. Os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Vanessa Grazziotin (PC do B-AM) também negaram qualquer influência. Procurados, os senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e José Pimentel (PT-CE) não responderam. / R.B. e D.A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.