Parlamentares evitam criticar Sarney no caso do Banco Santos

O senador Jefferson Peres (PDT-AM) defendeu que o Banco central ou o Ministério Público faça uma investigação para saber quantas pessoas sacaram dinheiro de suas contas antes da intervenção no Banco Santos. "Se algumas poucas pessoas sacaram o dinheiro, tudo caracteriza a existência de informação privilegiada mas, se muitas pessoas sacaram e havia o boato na praça de que o banco iria quebrar, nada de mais", disse o senador ao se referir ao fato do presidente do Senado, José Sarney, ter tirado todo o seu dinheiro do Banco Santos antes da intervenção. "Mas se havia boatos e muitas pessoas fizeram saques, acho que o senador Sarney agiu como qualquer correntista, qualquer cidadão. Eu faria a mesma coisa", disse. Ele afirmou que não irá tomar nenhuma iniciativa para pedir investigação sobre o assunto. "Isso me cheira a oportunismo e a desejo de aparecer", disse Peres.A líder do PT no Senado, Ideli Salvati (SC), também foi cautelosa sobre o assunto. "Não vou tecer comentários antes que uma suspeita sólida de ilicitude seja apresentada. Não faço comentários sobre insinuações especulativas", disse a petista. Ela disse ainda que não vê "a priori" nenhum problema no fato do presidente Sarney ter transferido o dinheiro. "Acho que ele tem todo dinheiro de movimentar sua conta. É um ato legal seu", afirmou.O líder do PFL na Câmara, José Carlos Aleluia (BA), disse conhecer bem o presidente Sarney e não ter nenhum motivo para desconfiar dele. "O PFL não vai fazer nada. É um assunto muito delicado. Prefiro aguardar a evolução dos fatos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.