Parlamentares do Rio citados na lista preparam suas defesas

Um dia após a divulgação da lista dos que serão investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na Operação Lava Jato, parlamentares do Rio voltaram ao Estado e preparam suas defesas para os inquéritos. O senador Lindbergh Farias (PT), segundo sua assessoria de imprensa, "estuda" os desdobramentos da lista entregue pelo procurador-geral, da República Rodrigo Janot, ao Supremo.

CARINA BACELAR, Estadão Conteúdo

07 de março de 2015 | 12h13

Já o deputado federal Simão Sessim (PP) afirmou neste sábado, 7, que está reunido com família e amigos em sua residência no Rio e que na segunda-feira deve procurar os advogados que sustentarão sua defesa ao longo das investigações. De acordo com ele, a equipe ainda não foi escolhida.

O deputado voltou a se dizer "surpreso" com o fato de seu nome aparecer na lista de Janot. "Eu não posso declarar nada antes de saber o que é", afirmou, ressaltando que soube do ocorrido pela imprensa. A citação do nome de Sessim durante a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa foi revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo em dezembro de 2014.

"Nunca tive nada disso durante 40 anos de vida pública, nunca tive meu nome envolvido em um processo", declarou o deputado, que está no 10º mandato na Câmara."Graças a Deus tenho recebido muitas ligações dos que conhecem minha história".

Inquéritos

Os pedidos de abertura de inquéritos feitos por Janot foram deferidos na sexta-feira, 6, pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki. Os pedidos são referentes a investigados com prerrogativa de foro privilegiado. As investigações tem como foco os desvios de recursos da Petrobrás, e supostos repasses desses recursos a políticos. Foram autorizadas investigações contra nomes do PT, PMDB, PP, PTB e PSDB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.