Parlamentares cancelam discussão sobre CPI

As oposições tinham marcado para hoje, mais uma vez, para discutir os termos do requerimento que pede a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as denúncias de corrupção no governo federal. Mas, com a morte do governador Mário Covas, o encontro está adiado. O esforço dos adversários do governo será o de cooptar os pefelistas, de modo a viabilizar a criação de uma CPI mista (formada por parlamentares das duas casas do Congresso), que poderia ser instalada imediatamente.Os governistas tentarão fechar a porta do Senado aos oposicionistas, para que eles consigam, no máximo, aprovar a instalação da CPI exclusivamente na Câmara dos Deputados. Com isto, ela entraria em uma fila em que já estão pedidos de outras 28 CPIs, o que implica uma espera de quatro ou cinco anos. Para "furar" essa fila, a oposição teria que aprovar um projeto de resolução, que precisa dos votos favoráveis de 257 deputados - a maioria absoluta da Câmara. É uma tarefa praticamente impossível, que implicaria dissidência de pelo menos 120 deputados atualmente alinhados com o governo federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.