Parlamentar tem hoje patrimônio milionário

Paulista de São Vicente, Gim Argello, de 48 anos, ganhou fama pela discrição e habilidade política dentro Congresso. Chegou ao Senado sem um voto sequer. Era suplente de Joaquim Roriz, que renunciou em 2007 em meio ao famoso escândalo da bezerra.

Leandro Colon / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2010 | 17h57

 

Ex-deputado distrital e ex-corretor de imóveis, Gim virou líder do PTB na Casa. Aproximou-se de Renan Calheiros (PMDB-AL) e do presidente José Sarney (PMDB-AP). Ganhou passe livre dentro do Palácio do Planalto.

 

O senador construiu um patrimônio milionário nos últimos anos. Em 2006, Gim declarou bens no valor de R$ 805 mil à Justiça Eleitoral.

 

Quatro anos depois, vive numa casa de 873 metros quadrados, na Península dos Ministros, avaliada em, pelo menos, R$ 6 milhões. Seus filhos viraram neo-empresários na cidade. Sua mulher é sócia da agência de franquia dos Correios (ECT) mais rentável do Distrito Federal. Fatura R$ 100 milhões por ano.

 

Em seu site pessoal, o senador diz que "cresceu brincando com o barro e com a chuva". E ressalta: "Gim costuma afirmar: quem trabalha com o que gosta constrói uma vida de sucessos. Gim é gente como a gente, filho de Brasília."

 

Bezerra. No escândalo da bezerra, que acabou levando Gim Argello para o Senado, Joaquim Roriz, ex-governador do Distrito Federal, foi flagrado, em um diálogo gravado com autorização do Judiciário, acertando com o então presidente do Banco de Brasília (BRB), Tarcísio Franklim de Moura, o desconto de um cheque de R$ 2,2 milhões destinado ao empresário Nenê Constantino.

 

Segundo as investigações, Roriz ficaria com R$ 270 mil. Em sua defesa, o ex-governador alegou que o dinheiro seria um empréstimo para comprar o embrião de uma bezerra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.