Parentes de ciclista atropelado vão processar governo

Familiares de Lenaldo Batista de Souza, de 56 anos, o ciclista que morreu atropelado na noite de sábado enquanto conduzia sua bicicleta pela Ponte do Mar Pequeno, em São Vicente, anunciaram que pretendem entrar com ação indenizatória contra a distribuidora de energia Bandeirante e o governo federal, se ficar comprovado que o acidente foi provocado pela falta de iluminação do local, em razão do racionamento de energia.Lenaldo foi atingido por um veículo que fugiu sem prestar socorro e, por conta da falta de visibilidade, outros dois carros passaram em cima do corpo, que ficou desfigurado. De acordo com o perito Roberto Ferreira Patella, da Seção de Criminalística de Santos, e o escrivão Frank Reynaldo, da Delegacia de São Vicente, não havia iluminação na ponte que, antes do racionamento, costumava ficar com as luzes acesas."Seria muito difícil para qualquer motorista visualizar um ciclista com a ponte às escuras", afirmou Patella.Embora o local do acidente seja administrado pela Ecovias, já que se trata de um dos acessos à Rodovia dos Imigrantes, a concessionária, por intermédio de sua assessoria de comunicação, informou que só a Bandeirante pode responder pela iluminação daquele trecho de estrada. De acordo com a assessoria de imprensa da Bandeirante, a empresa, em comum acordo com a prefeitura de São Vicente, cumpriu a determinação do governo federal de restringir a iluminação pública, apagando uma luminária a cada três postes, com o propósito de reduzir o consumo em 35%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.