Parente descarta "apagão" nas próximas semanas

O presidente da Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica (GCE), ministro Pedro Parente (Casa Civil), afirmou hoje que não haverá "apagão" nas regiões Sudeste e Centro-Oeste nas próximas seis semanas, nem na região Nordeste nas próximas quatro semanas. O ministro disse que o nível dos reservatórios de água do País está sendo reduzido a um ritmo mais lento e que isso é resultado das chuvas nas últimas semanas. "Tomara que se confirme que o período chuvoso está começando", disse.Segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrica (ONS) apresentados por Parente, o nível dos reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste estavam ontem 3,26 pontos porcentuais acima do limite mínimo estabelecido pelo governo. No Nordeste, o nível dos reservatórios está 1,13 ponto porcentual acima.O ministro afirmou que, apesar do aumento do consumo de energia, está havendo uma conservação maior de água nos reservatórios. "Enquanto tivermos esse número positivo em relação à curva guia (o limite mínimo estabelecido pelo governo), esse pequeno aumento de consumo de energia não preocupa. Não quer dizer que podemos aumentar o consumo".Nos 13 primeiros dias de setembro, a economia de energia nas regiões Sudeste e Centro-Oeste foi de 18,4%, no Nordeste foi de 17,6% e no Norte, de 20,3% - para uma meta de 20% de racionamento.O presidente da Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica informou que nos meses de junho, julho e agosto, a média da economia de energia foi de 20,1% nas regiões Sudeste e Centro-Oeste e de 19,9% no Nordeste.Ele partidicou hoje de um seminário, que terminará amanhã, que tem como objetivo "nivelar o conhecimento em um grau maior de detalhes sobre o modelo energético e discutir imperfeições e problemas na implantação desse modelo". Parente fez a ressalva de que o governo não espera tirar conclusões imediatas do seminário.Entre os temas em discussão, estão o mercado aberto de energia (MAE), a formação de preços e tarifas, a oferta nova de energia e a regulação do setor. Ele disse que o grupo de revitalização do modelo do setor de energia, criado pela GCE, deverá apresentar propostas que têm de ser discutidas com o governo, mas esse grupo, que participa do seminário, ainda não concluiu os trabalhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.