Parecer contra saída de Yeda deve ser votado nesta quinta-feira

Governadora do RS é acusada de pagamento "por fora" de parte do imóvel adquirido no fim de 2006

AE, Agência Estado

08 Outubro 2009 | 13h23

A comissão de admissibilidade do impeachment da governadora gaúcha Yeda Crusius (PSDB-RS) deve se reunir no início da noite de hoje para votar o parecer da relatora da deputada Zilá Breitenbach (PSDB) pelo arquivamento do pedido. Na análise, a parlamentar entendeu que "não está presente justa causa a autorizar a admissibilidade do pedido de instauração de processo por crime de responsabilidade contra a governadora do Estado".    

 

Veja Também

linkNotas comprovam que Yeda usou dinheiro público, diz oposição

linkOposição tenta reverter arquivamento de impeachment de Yeda

 

Yeda é acusada de uso de caixa dois na campanha eleitoral de 2006, pagamento "por fora" de parte do imóvel adquirido pela governadora no fim daquele ano e arrecadação de propinas por agentes públicos. Zilá Breitenbach, que também é presidente do PSDB do Estado, precisou de apenas cinco dos dez dias que tinha de prazo para elaborar o parecer entregue na noite de segunda-feira ao presidente da comissão, o líder do governo na Assembleia Legislativa, Pedro Westphalen (PP).

 

Os aliados de Yeda prometem fazer valer a maioria na comissão (de 17 a 12) e no plenário para encerrar o assunto com a maior brevidade possível e evitar mais desgastes à governadora, que seguirá enfrentando uma ação de improbidade administrativa na Justiça Federal e uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga corrupção em sua administração.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.