Parceria com PSD não se restringe a SP, diz Padilha

Diante da possibilidade de o tucano José Serra disputar a prefeitura de São Paulo, o que jogaria por terra as negociações entre o prefeito Gilberto Kassab o ex-presidente Lula para que o PSD apoie o candidato do PT, Fernando Haddad, os petistas se dedicam a minimizar o problema e acertar alianças em outras cidades paulistas. "Nossa aproximação com o PSD não está restrita à capital, em São Paulo. Temos parcerias no interior, na região metropolitana. Este é um projeto que não acaba agora, se estende a outros Estados, como Bahia, Sergipe", diz o petista Alexandre Padilha, ministro da Saúde.

LUCIANA NUNES LEAL, Agência Estado

21 de fevereiro de 2012 | 04h08

Padilha insiste que, desde o início, Kassab deixou claro para Lula que, caso Serra optasse por entrar na disputa pela prefeitura, apoiaria o tucano. O ministro aponta o lado positivo, para o PT, de uma possível candidatura de Serra. "Ajuda a polarizar a campanha desde o início. A polarização mais clara atrai mais aliados", afirmou Padilha, na madrugada desta terça-feira, no sambódromo do Rio, onde assistiu ao segundo dia dos desfile das escolas do Grupo Especial.

Tudo o que sabemos sobre:
Alexandre PadilhaPTeleiçãoKassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.