Parceiros do Pomar participam de expedição pela Billings

Uma expedição pela Represa Billings foi a atração principal, na semana passada, para parceiros e colaboradores do Projeto Pomar - uma iniciativa do Jornal da Tarde, com o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e da Secretaria Municipal de Implementação das Subprefeituras de São Paulo.Por dois dias, 40 pessoas participaram de uma aventura que começou em um barco na represa e terminou debaixo da terra, em uma visita a uma usina subterrânea. Houve ainda a descida pelas tubulações de válvulas de Cubatão, em uma espécie de bondinho.A expedição Caminho das Águas partiu da sede da Secretaria do Meio Ambiente, em Pinheiros, na zona oeste, às 9h, onde o grupo embarcou num microônibus e seguiu para a Usina de Piratininga, em Santo Amaro, na zona sul. Dali, um barco levou os participantes pela Represa Billings, passando por baixo da pista da Rodovia dos Imigrantes, até a barragem reguladora.Guiados pelo analista de meio ambiente da Empresa Metropolitana de Água e Energia (Emae) Carlos Eduardo Rocha os visitantes acompanharam o "grande contraste entre as áreas irregularmente ocupadas e a mata nativa."Da água, todos foram levados para o topo das válvulas que descem até a usina Henry Borden, em Cubatão. As conhecidas tubulações são "desbravadas" com a ajuda de um bondinho. Graças a ele, o local foi apelidado de Corcovado Paulista."A vista é impressionante. Você consegue ver do Guarujá à Praia Grande. É lindo", contou Rocha. Os 1.500 metros de descida foram percorridos em 20 minutos. A expedição foi encerrada com a visita à usina Henry Borden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.