Paraná apóia integração de polícias

O governador do Paraná, Jaime Lerner (PFL), disse hoje que o "mais importante" do pacote para melhorar a segurança pública é a integração entre as polícias. No Paraná, algumas atividades já estão sendo feitas em comum. Em outubro, deve ser inaugurado o Centro Integrado de Proteção ao Cidadão, reunindo num mesmo local oficiais militares e delegados durante 24 horas.Segundo Lerner, nos últimos episódios de greve alguns problemas provocaram intranqüilidade no atendimento à população. "Problemas que levavam à manipulação política, quase sindicalização da polícia", afirmou. "Uma coisa é a reivindicação salarial, um direito das corporações, e outra é cessar o atendimento". De acordo com Lerner, as propostas do governo são um "avanço".Ele acredita que a formação de uma força policial emergencial, por região e com boa formação, pode ser uma boa alternativa para garantir a tranqüilidade. "É uma ação integrada de vários Estados de uma região para atender emergências", disse.Nesta quinta-feira o Estado deve receber a segunda parcela, de R$ 18 milhões, do Fundo Nacional de Segurança Pública. Os recursos serão investidos em três frentes que o governador considera essenciais.A primeira é a construção de presídios. Ele espera que, até o fim de 2002, não haja nenhum preso condenado cumprindo pena em cadeias. A segunda frente é a presença mais constante de policiais militares nas ruas, "em ação bem coordenada e integrada à Polícia Civil". Por fim, ele pretende garantir condições mais modernas para o trabalho de investigação "no sentido de se evitar a impunidade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.