Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Para Maia, conflito entre governadores e governo federal não ajuda

Presidente da Câmara dos Deputados defendeu aprovação do Plano Mansueto e ações para evitar a queda de empregos pela pandemia do coronavírus

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2020 | 14h08

BRASÍLIA – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu diálogo entre o governo federal e os Estados. Para ele, o conflito entre os poderes não ajuda o País em um momento de crise. “Todos que hoje têm responsabilidade precisam compreender que, para superação da crise, precisam deixar o debate eleitoral para o momento adequado, principalmente o de 2022. Não podemos deixar que nossas diferenças políticas nos contamine porque não vai nos levar a lugar nenhum”, disse.

Maia afirmou que cabe ao governo oferecer as condições para superar o momento, para que não tenha uma queda muito grande dos empregos. “Acho que em conjunto a gente possa encontrar as soluções e o setor privado possa sobreviver a essa crise. Agora não tenho dúvida da necessidade de diálogo permanente e que o governo federal tem o papel de protagonista na intervenção, junto com setor privado, para que a gente possa garantir os empregos no Brasil”, disse.

Maia defendeu a aprovação do chamado Plano Mansueto e disse que há possibilidade de se aprovar a matéria rapidamente. 

Bolsonaro x governadores

A relação entre Jair Bolsonaro e governadores voltou a se desgastar no domingo, 22, quando o presidente afirmou que os governadores, sem nomear quais, são "exterminadores" de empregos e estão de olho em sua cadeira no Executivo. "Não podemos extrapolar na dose. Com o desemprego, a catástrofe será maior", afirmou em entrevista ao programa Domingo Espetacular, da Record TV. "Os governadores são verdadeiros exterminadores de empregos. Essa é uma crise muito pior do que a causada pelo coronavírus no Brasil."

Ao longo da semana passada, Bolsonaro já havia criticado governadores que tomaram medidas para restringir a circulação de pessoas. No sábado, em entrevista à CNN Brasil, o presidente chamou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de "lunático" e o acusou de fazer política em cima da crise do coronavírus.

Já nesta segunda-feira, 23, o presidente baixou o tom e decidiu chamar os governadores para uma videoconferência com o objetivo de discutir medidas de combate à pandemia.

Relembre outros momentos que Bolsonaro e governadores entraram em conflito.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Rodrigo Maiacoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.