Paralisia da economia ameaça avanços sociais, diz Campos

O governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) voltou a alertar nesta quinta-feira, 14, para o risco de perda das conquistas sociais se o Brasil não voltar a ter crescimento econômico. "Se não tivermos crescimento econômico, de qualidade, com respeito à natureza, com inclusão, as conquistas sociais recentes no Brasil podem efetivamente começar a serem desconstruídas pelo ciclo de paralisia da economia como vimos no ano passado, e como estamos vivendo este ano", afirmou ele, ao discursar durante evento do Fundo das Nações Unidas para a Criança (Unicef), no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções, no município metropolitano de Olinda.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

14 de novembro de 2013 | 17h04

Campos reiterou a importância do Bolsa Família, mas disse ver "as filhas do Bolsa Família serem as mães do Bolsa Família hoje". "É colocado o desafio e a coragem de ir abrindo os caminhos para que muitos brasileiros e brasileiras que se criaram com a ajuda dos recursos da União, do Bolsa Família, passem a receber recursos do seu negócio, do seu trabalho". Para isso, reforçou, o Brasil precisa voltar a crescer. Para Campos, é preciso passar a confiança de que efetivamente o Brasil tem uma estratégia de desenvolvimento para alavancar os investimentos a fim de criar uma nova dinâmica da economia. Ele também defendeu maior autonomia financeira para os municípios.

Fafá e Dudu

O governador fez discurso de candidato e assim foi tratado no evento, em que 31 municípios do semiárido pernambucano receberam o "Selo de Município Aprovado" da Unicef - por ações pela melhoria da qualidade de vida das crianças. Amiga da criança para a Amazônia Legal, da Unicef, a cantora Fafá de Belém chegou a se emocionar, em discurso, ao lembrar do ex-governador Miguel Arraes, avô de Campos, que havia lhe dito, há 30 anos, que o Brasil só teria jeito quando o povo fosse olhado de igual para igual e não de cima para baixo. "Dudu, você aprendeu tudo, tem feito muito por este Estado e fará por este País", afirmou ela, chamando-o pelo apelido e sendo muito aplaudida.

Representante da Unicef no Brasil, Antonella Scolamiero, elogiou o desempenho do Estado e disse que o programa criado no governo Campos, o Mãe Coruja, foi decisivo para a queda da mortalidade infantil. De acordo com estudo da Unicef, Pernambuco foi o quarto Estado brasileiro com maior redução da mortalidade infantil (81%) nos últimos 22 anos. A taxa de mortalidade por mil crianças nascidas vivas caiu de 55,8 há duas décadas, para 15,7. Pernambuco ficou atrás de Alagoas (83,9%), Ceará (82%) e Paraíba (81,4%).

Tudo o que sabemos sobre:
CamposUnicefconquistas sociais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.