Para Yeda, oposição do PSDB não atrapalha relação com Lula

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), avaliou nesta sexta-feira que a decisão de seu partido de fazer oposição sistemática ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva no Congresso não atrapalha seu relacionamento com o Planalto. Yeda recorreu a uma comparação local para explicar sua avaliação, argumentando que no Rio Grande do Sul o PT também teria decidido fazer oposição sistemática a seu governo, mas isso não iria modificar sua relação com a Assembléia. "A posição de cada partido não influencia a relação entre o governo federal e o estadual", reforçou. "É uma decisão do partido no fortalecimento de sua linha de conduta", analisou a governadora, sobre a decisão que o comando do PSDB adotou na terça-feira. Yeda acrescentou que seu partido deve fazer oposição "responsável e propositiva", como já acontece, segundo ela. A governadora anunciou medidas de reorganização administrativa do Executivo, confirmando mudanças nas atribuições de algumas secretarias e extinguindo quatro gabinetes. A principal novidade foi a criação de câmaras setoriais para atuar nas áreas prioritárias do governo. Ela também irá reduzir o número de programas do Estado, dos atuais 232 para um número em torno de 85. O comando nacional do PSDB decidiu, na noite de terça-feira, que o partido fará oposição sistemática ao governo Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.