Para Wagner, denúncias devem ser explicadas para matar o assunto

O presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, ministro Jaques Wagner, defendeu pouco que o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles e o presidente do Banco do Brasil, Cássio Casseb, dêem esclarecimentos sobre as denúncias que seguidamente vêm saindo na imprensa e "matem de uma vez o assunto". Jaques Wagner alegou que não poderia comentar as últimas denúncias publicadas hoje pela Veja On-line porque não tinha conhecimento delas. "Passei o dia todo aqui", disse o ministro, que presidiu a mesa redonda sobre o papel do diálogo social como alavanca para o desenvolvimento, promovida pelo Conselho, no auditório do Palácio do Planalto. De acordo com o ministro a avaliação que ele podia fazer era a do início da semana, quando o assunto foi discutido pela coordenação política do governo. Jaques Wagner disse que a posição da coordenação e do Presidente da República é de muita tranquilidade. "As informações que o presidente tem dão tranquilidade", argumentou. Na opinião do ministro tanto Meirelles quanto Casseb estão se preparando para esclarecer a questão no Congresso. "Eles devem esclarecer e matar de vez o assunto", observou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.