Para Votorantim, é ''inaceitável''

O Grupo Votorantim, que teve invadida sua sede no centro de São Paulo, emitiu ontem nota na qual afirma que ações desse tipo comprometem o Estado Democrático de Direito. Diz a nota que o grupo, com 90 anos de existência e quase 60 mil empregados, "tem sua trajetória marcada pelo respeito a toda e qualquer manifestação democrática". "O grupo sempre esteve aberto ao diálogo com todos os setores da sociedade, no entanto, considera inaceitável prática que violem as leis vigentes no País", ressalta a nota da Votorantim, que "reitera seu compromisso com o Estado Democrático de Direito e o desenvolvimento sustentável".Em Pernambuco, o reitor da Universidade Federal Rural, Valmar Andrade, classificou de "insana" a destruição de mudas de cana e de áreas plantadas na Estação Experimental de Cana-de-Açúcar. "O País não pode ficar à mercê de pessoas desse nível", afirmou. Ele também disse que pretende recorrer à Justiça para que os responsáveis pela ação sejam punidos.Em Passo Fundo a Bunge suspendeu a produção de óleo refinado de soja após a invasão de suas instalações. Segundo a empresa, havia riscos para seus funcionários e para os invasores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.