André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Para vice-líder do PSDB na Câmara, condenação mostra que ‘ninguém está acima da lei’

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB-PB) enxerga a condenação de Lula como um "ganho institucional e democrático"

Bernardo Gonzaga, Mariana Machado, Rafael Moraes Moura e Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2017 | 20h19

BRASÍLIA - Vice-líder do PSDB na Câmara, o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB-PB) disse nesta quarta-feira, 12, que a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a 9 anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá é um "ganho institucional e democrático".

A condenação do juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal, em Curitiba, é a primeira do ex-presidente na Operação Lava Jato.

"O principal ganho é que mostra que ninguém está acima da lei. O ganho é institucional e democrático. E revela também um dos principais problemas que tem em nosso país: o patrimonialismo, quando um agente público usa seu poder para atuar no campo privado, que é o caso do ex-presidente ter usado seu poder para empreiteira atuar em seu imóvel. O clima é de que isso mostra que a lei está acima de todos", disse o tucano.

A deputada Bruna Furlan (PSDB-SP), por sua vez, disse que é preciso respeitar a decisão judicial. "Eu espero que todos que tenham alguma culpa, seja de qual partido for, tenham a oportunidade de se defender e, caso condenados, cumpram a determinação da Justiça", afirmou a deputada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.