Para Viana, Renan não sairá da presidência do Senado

O vice-presidente do Senado, Tião Viana (PT-AC), disse hoje que pelo que conhece da personalidade do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), ele não deverá deixar o cargo em troca de sua absolvição apertada, ontem, pelo plenário. Há a suspeita de que um acordo nesse sentido teria sido negociado no Senado. "Eu não sei se esse acordo foi feito com ele ou à revelia dele", disse Viana.Hoje, parlamentares de vários partidos defenderam a saída de Calheiros, entre eles o senador José Agripino Maia (DEM-RN), para quem o senador saiu desgastado da acusação de quebra de decoro parlamentar. "Ele poderia se licenciar (temporariamente) para facilitar a vida no parlamento", defendeu também o senador Aloizio Mercadante (PT-SP), em entrevista para o Jornal Hoje, da TV Globo. Na mesma reportagem, o corregedor do Senado, Romeu Tuma (DEM-SP), avalia que a situação de Calheiros não melhorou com a absolvição. "Botaram o homem na forca e não tiraram o banquinho", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.