Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Para TV espanhola, Temer fala sobre Lava Jato e diz que Moro 'cumpre o seu papel adequadamente'

Parte da conversa com os jornalistas espanhóis, gravada na última quinta-feira (20), no Palácio do Planalto, foi dedicada aos possíveis impactos que os desdobramentos das investigações poderão ter nas atividades do Congresso e na economia brasileira

Erich Decat, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2017 | 12h04

BRASÍLIA - Em entrevista à Televisão Espanhola (TVE), o presidente Michel Temer considerou que o juiz Sérgio Moro, responsável pela condução de parte das investigações da Operação Lava Jato, “cumpre o seu papel adequadamente”.

Parte da conversa com os jornalistas espanhóis, gravada na última quinta-feira (20), no Palácio do Planalto, foi dedicada aos possíveis impactos que os desdobramentos das investigações poderão ter nas atividades do Congresso e na economia brasileira.

Questionado sobre a atuação de Moro e sobre o instituto de delação premiada realizada no âmbito da Lava Jato, Temer ressaltou:

“[Moro] cumpre o seu papel como membro do poder Judiciário, como devem fazer todos que o compõe. Creio que ele cumpre o seu papel adequadamente. Qualquer consideração negativa que eu faça sobre a delação será prejudicial porque podem entender que queremos acabar com a Lava Jato”.

Temer também classificou como “triste” o fato de parte do governo ser alvo de inquéritos decorrentes das investigações. Entre aqueles que o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de inquéritos estão nove ministros do governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, entre eles os presidentes das duas Casas. Fachin também pediu ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que se manifeste sobre um recurso do PSOL, que pede a inclusão do presidente Michel como investigado em um dos inquéritos abertos com base nas delações da Odebrecht. O inquérito em que o PSOL entrou com recurso vai apurar pagamento de vantagens indevidas em um processo licitatório que o Grupo Odebrecht participou dentro do Plano de Ação de Certificação em Segurança, Meio Ambiente e Saúde (PAC SMS).

“Sim me parece triste, não posso falar outra coisa. Mas em relação a essas investigações, temos que esperar que o poder Judiciário condene ou absolva as pessoas”, afirmou Temer.

Apesar dos desdobramentos das investigações, o presidente ressaltou aos espanhóis que as atividades no País serão mantidas dentro da normalidade. “Brasil não para. Portanto, não será a corrupção que vai paralisar o País”.

Visita. A íntegra da entrevista, de 25 minutos, com o presidente Temer deverá ser disponibilizada pela TVE a partir das 16h deste sábado (22). A divulgação da conversa ocorre dois dias antes de o presidente Espanhol Mariano Rajoy, desembarcar no Brasil. Rajol fará uma visita oficial, entre 24 e 25 de abril, acompanhado de um grupo de empresários e investidores interessados no País.

“Há uma aproximação cada vez maior entre a Espanha e o Brasil. Já temos laços de amizade e institucionais muito assentados e a relação comercial muito próspera”, afirmou Temer, na conversa com os jornalistas espanhóis.

Entre os assuntos que os dois presidentes devem abordar, estão as negociações do acordo do Mercosul com a União Europeia. Os mandatários tratarão também dos desafios do cenário internacional. A agenda oficial, em Brasília, incluirá um almoço oferecido por Temer em homenagem ao presidente Rajoy, que participará ainda de outros eventos: um seminário sobre oportunidade de negócios no Brasil e um sobre as relações Brasil-Espanha. Empresários e personalidades brasileiros e espanhóis também estarão presentes.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.