Para Tião Viana, Quintanilha precisa explicar acusações

Peemedebista é alvo de inquérito no STF por corrupção e lavagem de dinheiro

Agencia Estado

02 de julho de 2007 | 09h31

O vice-presidente do Senado, Tião Viana (PT), disse nesta sexta-feira, 29, em entrevista a jornalistas, que o senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO), eleito presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa, precisa esclarecer as denúncias relacionando seu nome a supostas práticas de fraude em licitações, das quais vem sendo acusado.Segundo Viana, as explicações seria úteis para que os membros do colegiado possam decidir se sua situação é ou não compatível com a permanência no cargo. Na avaliação de Tião Viana, essas acusações poderão suscitar muita pressão política, tanto por parte da sociedade como do próprio Congresso, e provocam "mais uma crise no Conselho de Ética". Eleito para proteger o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) no Conselho de Ética, o novo presidente do órgão, Leomar Quintanilha (PMDB-TO), é alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Ele é acusado de integrar uma quadrilha, desmantelada pela Polícia Federal e o Ministério Público em 2002, que fraudava licitações e desviava recursos públicos destinados a obras no Tocantins. O senador nega a acusação e garante que será inocentado.Quintanilha foi escolhido na última quarta-feira, 27, presidente do Conselho de Ética no lugar do senador Sibá Machado (PT-AC), que deixou o cargo alegando pressões. O órgão cuida do processo por quebra de decoro parlamentar contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), acusado de ter despesas pessoais pagas por um lobista.(Com Agência Senado)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.