Para Thomaz Bastos, "repressão sem prevenção é inútil"

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse em discurso nesta quinta-feira, 19, que para a segurança pública "repressão sem prevenção é absolutamente inútil". Segundo o ministro, "é como deixar a torneira aberta e tentar enxugar o chão - você nunca vai conseguir até fechar a torneira". As declarações foram feitas em evento do projeto "Guias Cívicos", que deve treinar 10.000 jovens até maio para trabalhar em atividades de apoio durante os Jogos Pan-americanos do ano que vem no Rio.Thomaz Bastos comparou o trabalho ao realizado para as olimpíadas de Barcelona, em 1992. "Vamos fazer como Barcelona fez. Depois dos Jogos Olímpicos, ficou um rico legado", disse em um ginásio de esportes cheio de jovens participantes do projeto.No mesmo evento, realizado em um clube na zona norte do Rio, o ministro do Esporte, Orlando Silva Júnior, disse que os Jogos Pan-Americanos vão ajudar as candidaturas do Brasil a sediar a Copa do Mundo de futebol em 2014 e as Olimpíadas em 2016.O evento contou também com a participação de personalidades como o cantor Raimundo Fagner, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, o secretário nacional de Segurança Pública, Luiz Fernando Corrêa, e o diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Lacerda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.