Para Távola, PEC da CPMF pode ser aprovada antes de 18 de junho

O líder do governo no Senado, Arthur da Távola (PSDB-RJ), acredita que a proposta de emenda constitucional (PEC) prorrogando a vigência da CPMF pode ser aprovada antes do dia 18 de junho. Embora afirme não querer se pronunciar em nome do PFL, Távola entende que as manifestações favoráveis à aprovação da PEC, vindas de outros senadores do partido, apressarão a votação. ?Há uma tendência de se votar e de correr com a votação. Essas pressões vão pesar", disse. A proposta de emenda, aprovada na Câmara dos Deputados, tramita no Senado.Távola afirmou não ter condições para prever se a emenda que prorroga a CPMF será anulada, caso não comece a vigorar até 18 de junho. Isso porque, para alguns governistas, se a proposta não entrar em vigor até esta data, não se trataria mais de prorrogar o imposto, mas sim de criar uma nova CPMF. "Isso é juridicamente discutível, mas o argumento é ponderável", disse o líder. Para ele, quanto mais rápida for a votação, mais depressa será a redução da alíquota do IOF e a liberação dos créditos orçamentários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.