Para Serra, ''muita água vai rolar debaixo da ponte''

Governador tucano usa ditado para avaliar cenário eleitoral de 2010

Silvia Amorim, BOCAINA, O Estadao de S.Paulo

03 de junho de 2009 | 00h00

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), usou ontem um ditado popular para descrever sua avaliação sobre a disputa presidencial de 2010. "Muita água ainda vai passar debaixo dessa ponte", afirmou Serra, em uma inauguração no interior do Estado. A frase é mais uma manifestação do governador contra a antecipação do debate eleitoral.As mais recentes pesquisas de intenção de voto mostram o governador na liderança, mas ele tem cada vez mais perto a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, principal nome do Palácio do Planalto à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dentro do próprio partido, Serra disputa com o governador de Minas, Aécio Neves, a candidatura tucana.As declarações de Serra contra a discussão de candidaturas para a eleição de 2010 têm sido frequentes. Ele argumenta que colocar em pauta o assunto neste momento "prejudica a administração pública no Brasil". "Eu sou candidato a governar São Paulo", diz. No mês passado, o tucano chegou a acusar diretamente o governo federal e o PT por esse movimento. As negativas do governador, entretanto, não têm inibido aliados de manifestarem seu apoio publicamente. Ontem, para plateia de 195 prefeitos e representantes de mais de 80 cidades paulistas, o deputado estadual Roberto Massafera (PSDB) aproveitou a deixa. "É assim que governamos São Paulo e, se Deus quiser, é assim que vamos governar o Brasil", disse.Mais tarde, após anunciar parcerias com municípios na área do meio ambiente, em Bocaina, interior paulista, Serra considerou "normal" esse tipo de iniciativa. "As pessoas expressam desejos. Mas isso não significa que vamos antecipar o processo eleitoral", destacou.JARGÃO E AGENDA Serra também usou ontem um conhecido jargão do presidente Lula. Em discurso sobre ações do seu governo voltadas para os portadores de deficiência, Serra disse, para logo após cair na gargalhada, que "nunca antes na história de São Paulo" essa questão havia tido tanta importância. O tucano também aproveitou o público de cerca de 300 pessoas numa arena montada em uma fazenda para ressaltar os investimentos do governo estadual. "Nosso governo está investindo como nunca se investiu em São Paulo", afirmou. A previsão é de que o aporte em 2009 chegue a cerca de R$ 20 bilhões em investimentos. Para 2010, a cifra esperada é de R$ 25 bilhões. Em Bocaina, Serra entregou obras de recuperação de estradas vicinais, uma das vitrines da sua gestão, formalizou um pacto com dezenas de municípios para preservação de rios e nascentes no Estado. Ganhou de presente uma peteca. Serra e Aécio terão um encontro na sexta-feira em Belo Horizonte, onde assinarão convênios para minimizar a sonegação do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) nos dois Estados. Em seguida, eles seguirão para Foz do Iguaçu, no Paraná, onde será realizado encontro regional do PSDB. COLABOROU EDUARDO KATTAH

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.