Para Serra, adversário foi 'fracasso' no ministério

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, avaliou na quinta-feira (18) que a gestão do adversário Fernando Haddad (PT) à frente do Ministério da Educação no governo Lula foi "um fracasso". Na quinta-feira (18), Haddad insinuou que o tucano não tinha competência para governar a capital.

RICARDO CHAPOLA, Agência Estado

19 de outubro de 2012 | 09h44

"Acho que ele (Haddad) é um pouco imodesto. Para alguém que foi um fracasso como ministro da Educação, haja imodéstia", disparou Serra nas visitas a unidades da AMA.

A campanha do PSDB tem como estratégia explorar o que considera falhas da gestão do petista no MEC, como o vazamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em outra frente de ataque, a campanha tucana tem questionado a experiência política de Haddad, que até hoje exerceu cargos técnicos e foi ministro mas disputa agora, pela primeira vez, um cargo eletivo.

Ainda em sua crítica, Serra classificou a gestão de Haddad no MEC de "desastrosa" e disse que o petista é "inexperiente". "Tudo o que eu fiz em prol da população brasileira são benefícios que vieram para ficar. Não é uma pessoa inexperiente, que foi enfiada pela goela do PT e que fez uma gestão desastrosa no MEC que pode fazer essa avaliação", afirmou o Serra.

O candidato do PSDB prosseguiu nas críticas dizendo que não precisa se defender das ofensivas feitas por Haddad: "Eu não preciso me defender diante desse adversário. Meu trabalho a população conhece".

Rejeitados

Na quinta-feira (18), Haddad também tentou colar o tucano à imagem do prefeito Gilberto Kassab (PSD), aliado de Serra na campanha e cuja gestão é mal avaliada pela população, de acordo com pesquisas.

"O Serra acha que o (Gilberto) Kassab (atual prefeito, do PSD) está preparado para ser prefeito. Então, nós temos uma divergência a respeito do assunto. Ele acha que o Kassab está preparado e eu acho que ele não está", disse Fernando Haddad em visita que fez às instalações da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), na zona sul da cidade.

"O juízo que ele faz, uma vez que ele acha que a administração atual vai bem e 80% (dos paulistanos) acham que não vai, é um juízo equivocado sobre esse tema sobre quem está ou não preparado", completou o candidato petista à Prefeitura.

Haddad voltou a criticar seu oponente por, segundo ele, não ter um plano de governo com metas. Para o candidato do PT, o tucano não quer compromissos com a cidade e, por isso, ele não se compromete "nem em permanecer no cargo".As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.