Fernando Remor/Agência O Dia
Fernando Remor/Agência O Dia

Para Serra, julgamento do impeachment de Dilma deve demorar entre dois e três meses

Cotado para assumir o Itamaraty no governo de Michel Temer, senador do PSDB brincou ao dizer que prefere que votação entre pela madrugada

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2016 | 20h35

BRASÍLIA - Provável ministro das Relações Exteriores do governo Michel Temer, o senador José Serra (PSDB-SP) disse nesta quarta-feira não acreditar que o processo de julgamento definitivo do impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado dure seis meses, prazo máximo estabelecido pela lei.

"Não acredito que demore seis meses. É até seis meses, mas acredito que vai ser bem antes. Dois meses, três no máximo", afirmou. Na sessão de hoje, o Senado está votando apenas o afastamento da petista por 180 dias. Nesse período, a Casa Legislativa passará a analisar o mérito do pedido de impeachment.

Serra previu que o afastamento temporário de Dilma será aprovado "com folga". Para ser afastada temporariamente, basta que 41 senadores votem contra a petista. A oposição e aliados de Temer, no entanto, querem obter 54 votos, quórum mínimo necessário para tirar Dilma definitivamente da presidência.

O senador disse acreditar que a sessão de votação do afastamento temporário, que começou hoje, só acabe na manhã desta quinta-feira. Conhecido por ter hábitos notívagos, Serra brincou e disse até preferir que a sessão entre pela madrugada. "Fico até mais alerta. (...) Perto de 2 horas da manhã é meu ponto máximo", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.