Para senador, 'infiltrados' pediram intervenção militar

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR), um dos vice-presidentes do PSDB, disse ontem que acredita que havia "adeptos do próprio governo infiltrados" no protesto realizado anteontem em São Paulo e no qual manifestantes pediram uma intervenção militar no País.

DÉBORA BERGAMASCO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2014 | 02h02

"Só para descaracterizar e enfraquecer o movimento", afirmou o senador tucano. "O que vimos na rua foi esse sentimento de inconformismo, por isso o pedido de impeachment. Mas essa coisa militar foi plantada. Fica para mim a suspeição de que foi algo encomendado. Algo como aconteceu nas manifestações de junho do ano passado, com infiltrações que descaracterizaram o movimento."

'Cautela'. Para o líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Antonio Imbassahy (BA), o ato em defesa do impeachment de Dilma Rousseff, realizado menos de uma semana depois de a presidente ser reeleita, mostra que o "sentimento de indignação continua muito forte" contra a petista. Segundo ele, porém, a defesa da saída da presidente precisa ser vista com "cautela".

"É preciso aguardar fatos concretos que confirmem esse suposto envolvimento de Dilma com os escândalos da Petrobrás", afirmou.

Sobre as manifestações que pediam intervenção militar, o líder do PSDB limitou-se a dizer que "não existe regime melhor do que a democracia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.