Para se aproximar de senadores, Lula recebe ACM nesta 4ª

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva agendou para às 9 horas, no Palácio do Planalto, encontro com o senador Antonio Carlos Magalhães (DEM-BA), um dos principais críticos do governo. Recentemente, ao fazer exames de rotina no Incor, Lula aproveitou para visitar ACM que estava internado com pneumonia, num gesto que sensibilizou o senador baiano. ACM declarou que na primeira oportunidade retribuiria a visita.No entanto, segundo o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), o encontro desta quarta-feira, 4, faz parte da intenção de Lula de se aproximar dos senadores da situação e da oposição, prevendo reuniões também com o líder do Democratas no Senado, José Agripino Maia (RN), e com Tasso Jereissati (CE) e Arthur Virgílio Neto (AM), do PSDB.Na noite da terça-feira, 3, Lula jantou com os senadores do PT na casa de Suplicy e a crise do setor aéreo foi um dos principais temas abordados no encontro. Segundo o senador, o presidente disse que não está preocupado com uma eventual crise no setor aéreo durante o feriado da Semana Santa.Lula fez aos senadores um relato sobre as medidas já adotadas em relação à crise e, segundo a líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), "qualquer negociação com os controladores de vôo será retomada depois da volta à normalidade nos aeroportos". Ela acrescentou que as ordens ao brigadeiro Juniti Saito, comandante da Aeronáutica, já foram dadas e que agora "o governo está monitorando e acompanhando atentamente o desenrolar da crise nos próximos dias".Por sua vez, o senador Aloísio Mercadante (SP) destacou o fato de o presidente ter deixado claro que não permitirá quebra de disciplina ou de hierarquia na Aeronáutica. Lula teria reconhecido que o trabalho dos controladores de vôo precisa ser melhorado, mas em contrapartida "eles têm que respeitar a população", disse o senador.Entre as medidas que Lula disse já ter tomado, acrescentou Mercadante, estão a formação de mais controladores de vôo e a aquisição de novos equipamentos para a Aeronáutica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.