Para Saturnino, Jader praticou corrupção "em alta dose"

O senador Roberto Saturnino Braga (PSB-RJ), ao saber da prisão de Jader Barbalho, disse hoje que, por todas as investigações que acompanhou, convenceu-se de que o ex-presidente do Senado "praticou atos ilícitos e de corrupção em alta dose". Surpreso com a notícia, Saturnino comentou: "a Justiça acabará se fazendo, o Poder Judiciário existe para isso. Me convenci definitivamente de que ele enriqueceu com o dinheiro público, praticou corrupção."Saturnino foi relator do caso da violação do painel do Senado e pediu abertura do processo de cassação dos mandatos de Antonio Carlos Magalhães e José Roberto Arruda, que acabaram renunciando. Em seguida, foi a vez de os senadores voltarem-se para as acusações que pesavam sobre Jader, que também deixou o Senado, perdendo a imunidade parlamentar. O senador socialista preferiu não falar diretamente sobre a prisão de Jader. "Há muitas facetas, muitos aspectos que a gente não pode alcançar. Cabe ao Judiciário avaliar."ArbítrioJá o senador Roberto Requião (PMDB-PR) considerou uma arbitrariedade a prisão do ex-senador Jader Barbalho. Requião frisou que é um "opositor absoluto" do ex-presidente do Senado, afirmou estar convencido de que ele é culpado das acusações feitas pelo Ministério Público e precisa ser condenado e preso - mas somente após a conclusão do processo judicial. "Não vou bater palmas para o arbítrio. A prisão no meio do processo não me parece legal. Amanhã, o mesmo pode acontecer com você ou comigo", justificou o senador, observando que Jader tem domicílio no Brasil e não está fugindo do processo. "Esse juiz deveria tratar de concluir rapidamente o processo ao invés de ficar expondo publicamente a sua figura", criticou. Requião avalia que a prisão de Jader deverá enfraquecer politicamente o grupo que comanda o PMDB e defende o apoio do partido à candidatura do ministro da Saúde, senador José Serra (PSDB-SP), à Presidência da República. "A prisão de Jader abala a candidatura Serra no PMDB e fortalece a tese da candidatura própria", sustenta o senador paranaense, lembrando que Jader continua um aliado muito próximo do presidente do partido, deputado Michel Temer (SP), e dos líderes na Câmara, Geddel Vieira Lima (BA), e no Senado, Renan Calheiros (AL).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.