Para Sarney, 'maioria confortável' do governo no Congresso vai garantir austeridade

Segundo o senador, é impossível falar na redução de gastos referindo-se a apenas um só poder

Rosa Costa, de O Estado de S.Paulo,

25 de novembro de 2010 | 12h08

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney, disse nesta quinta-feira, 25, que a "maioria confortável" que o governo possui no Congresso vai garantir a política de austeridade defendida pela equipe econômica da presidente eleita, Dilma Rousseff. Segundo Sarney, é impossível falar na redução de gastos referindo-se unicamente a um só poder. Para ele, tanto Executivo quanto Judiciário e Legislativo têm de estar unidos no mesmo esforço. "Tem que falar num esforço comum e numa política a ser seguida pelo Estado. Isso envolve todos os poderes", afirmou.

 

O senador disse acreditar que será fácil acompanhar os parâmetros projetados pelo governo. "De maneira que não há nenhum indicativo a temer quanto à possibilidade desses números saírem de controle", defendeu Sarney. "Evidentemente que polícia monetária tem de ser feita dentro da realidade do dia a dia. Ela não pode ser uma coisa fixa nem dogmática. Ela tem de enfrentar a realidade, e a economia tem de se colocar dentro desse parâmetro", acrescentou.

 

Para Sarney, os nomes da equipe econômica do novo governo demonstram a intenção de Dilma de manter a política de austeridade econômica, superávit primário e, ao mesmo tempo, controle da inflação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.