Para Sarney, CPI do Banestado exagerou ao quebrar 1.700 sigilos

O presidente do Senado, José Sarney, afirmou que "há um certo exagero" no pedido da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Banestado de quebrar 1.700 sigilos bancários e fiscais de pessoas físicas e jurídicas. "Até materialmente é impossível fazer esta avaliação (dos dados)", disse. Ele, no entanto, acredita que não há prejuízo para a imagem da Casa estes excessos. Ele observou que como presidente do Senado não pode interferir no trabalho das comissões. Sarney não quis comentar sobre o vazamento de informações da CPI. "Essa pergunta deve ser feita ao presidente da Comissão", respondeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.