Para relator na Câmara, votação no Senado provocaria 'crise institucional'

Deputado Onyx Lorenzoni é vaiado no plenário da Casa ao criticar manobra de Renan Calheiros no Senado

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2016 | 19h41

BRASÍLIA - O relator do pacote anticorrupção na Câmara, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), afirmou que a decisão do Senado de iniciar já nesta quarta-feira, 30, a votação do projeto no plenário poderá gerar “uma crise institucional”. “Pode ser aberto uma crise institucional entre poderes no Brasil e o Brasil não precisa disso”, afirmou.

Lorenzoni pediu a palavra no plenário para afirmar que havia sido informado de que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), havia colocado para votar a urgência "do picadinho das dez medidas que saiu daqui nesta madrugada”. “É só um alerta importante, neste momento eu espero que o Senado Federal tenha o bom senso de dar tempo ao tempo para a recuperar o espírito das dez medidas”, disse.

Ao fazer o pronunciamento, Lorenzoni foi vaiado pelos deputados. “Podem vaiar à vontade”, disse.

O pacote anticorrupção terminou de ser votado na Câmara já passadas as 4 horas desta quarta-feira, 30. As alterações realizadas pelos deputados causaram reação na força-tarefa da Operação Lava Jato. Procuradores ameaçaram renunciar os trabalhos dessa investigação caso a proposta avance no Legislativo e seja sancionada pelo presidente Michel Temer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.