Para Rachid, reforma tributária não sai até fim do ano

O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, admitiu ser muito difícil a conclusão, ainda este ano, da votação da proposta de reforma tributária, porque faltam poucos dias úteis para a votação de qualquer mudança na Constituição. "Precisamos achar uma solução para os pontos que ainda emperram a reforma", afirmou o secretário, em entrevista à Agência Estado, ainda antes de participar da abertura do seminário sobre a nova administração tributária brasileira. Entre os pontos que emperram a reforma ele citou a distribuição da arrecadação do ICMS entre os Estados. "É a velha questão da origem e destino". Rachid disse que, apesar de achar difícil a votação da reforma até fim do ano, percebe uma vontade política para a eliminação das distorções ainda existentes no sistema tributário. No seminário, Rachid falou sobre os avanços ocorridos na administração tributária, entre eles o trabalho que vem sendo feito com os Estados e municípios para a integração entre a receita e os órgãos regionais que cuidam da arrecadação tributária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.