Divulgação - 24/10/2012
Divulgação - 24/10/2012

Para PSDB mineiro, Aécio Neves é o grande vencedor dessas eleições

O presidente estadual da sigla, deputado federal Marcus Pestana, afirmou que o grupo político liderado pelo senador tucano 'varreu' o PT da região metropolitana de Belo Horizonte

Guilherme Waltenberg, da Agência Estado

29 de outubro de 2012 | 20h25

O presidente estadual do PSDB de Minas Gerais, deputado federal Marcus Pestana, avaliou na tarde desta segunda-feira que os grandes vencedores das eleições municipais deste ano em Minas Gerais foram o PSDB e o senador Aécio Neves, com seu projeto político de alianças amplas com os partidos aliados. Na análise do tucano, esse estilo garantiu ao grupo liderado pelo senador o comando de 80% dos municípios mineiros, mesmo com o PSDB vencendo em apenas 142 das 853 Prefeituras de Minas e "fortaleceu" a imagem de Aécio no plano nacional.

"A liderança (do Aécio) é consolidada em Minas. Isso nos habilita a disputar as eleições de 2014 com uma grande autonomia", considerou o deputado. Pestana ressaltou ainda que esse mesmo grupo liderado por Aécio "varreu" o PT da região metropolitana de Belo Horizonte. "O PT foi varrido da Região Metropolitana. Em Belo Horizonte, tivemos uma vitória expressiva contra o maior líder do PT de Minas Gerais, que é (o ex-ministro e ex-prefeito) Patrus Ananias, apoiado também pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva", avaliou.

Em comparação ao PT, Pestana disse que o PSDB tem uma cultura política generosa e o PT, exclusivista. "O PSDB tem uma cultura política generosa, aliancista, ampla. O PT não. Como disse o Ciro Gomes (PSB-CE), o PT é venha a nós, ao vosso reino nunca. Então é uma cultura exclusivista, fechada. É tudo para eles. É tudo para o PT. Nós não. Nós temos uma cultura ampla", comentou.

Pestana disse ainda que o projeto presidencial do PSDB está começando. Foi preparado um documento pelo PSDB mineiro - que deve ser entregue nesta terça a dirigentes nacionais do partido - propondo um "realinhamento programático e ideológico" do partido em convenção a ser realizada no ano que vem. Esse documento propõe também a escolha do nome do candidato à Presidência no meio de 2013 - que na opinião dele deve ser Aécio -, o início da propagação das ideias do partido durante o ano e a composição de alianças para a eleição nacional. "Temos que mostrar o poder futuro (com o PSDB) como mais atraente que o poder presente (com o PT)", explicou.     O deputado ressaltou ainda a interlocução de Aécio com o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos. "Certamente eles conversarão muito para construir um projeto alternativo de Brasil à hegemonia lulopetista, que já completa, em 2014, 12 anos de poder", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012PSDBAécio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.