Para presidente, houve roubo de documento oficial na Casa Civil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem, em Haia (Holanda), que o governo continuará a fazer "banco de dados na Casa Civil" e acusou o responsável pelo vazamento do dossiê com gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de "roubar documentos".De novo, Lula disse desconhecer a existência de um dossiê. "O que estávamos e estamos fazendo é um banco de dados que ficará pronto em alguns dias, com todas as informações (de gastos) de tantas quantas pessoas acharmos necessário", afirmou. "Quem quiser transformar banco de dados em dossiê que transforme. Eu continuarei a fazer banco de dados na Casa Civil."Sobre a investigação em torno do vazamento das informações, Lula disse que quer saber quem foi o responsável. "Se alguém que não sei quem roubou documento oficial de um banco de dados e resolveu dar para um jornal, um jornalista, uma revista, como se fosse uma coisa fantástica, uma novidade para merecer manchete, nós queremos descobrir quem roubou, sim.""Alguém tentar roubar um documento e vender como novidade daquelas de que descobriram a mina do rei Salomão, acho pequeno, acho isso pobre", completou o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.