Para presidente do Supremo, povo deve participar de debate sobre reforma política

Joaquim Barbosa defende candidaturas avulsas (sem partido), fim do suplente de senador e redução do peso dos partidos na vida política

Felipe Recondo - O Estado de S. Paulo,

25 Junho 2013 | 18h22

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, defendeu há pouco "diminuir ou mitigar" o peso dos partidos na vida política do País. "Não se faz reforma política consistente no País sem alteração da Constituição", afirmou Barbosa, que se disse favorável ao voto distrital. Ele defendeu ainda a participação do povo na discussão das reformas. "O que se quer é o povo participando das discussões", afirmou.

O presidente do STF, que esteve hoje à tarde reunido com a presidente Dilma Rousseff, disse que "o País vive uma crise de representação política". Barbosa defendeu a diminuição do peso dos partidos na vida política do País e destacou ainda que a reforma política deveria criar um "recall".

Barbosa, que disse ser favorável a candidaturas avulsas, considera que suplente de senador é "excrescência injustificável". "A sociedade brasileira está ansiosa para se ver livre desses grilhões partidários que pesam sobre seus ombros", disse o ministro, para quem o sistema deve mudar para viabilizar "pitadas de vontade popular".

O presidente do Supremo disse ser favorável à diminuição do peso político na promoção de juízes. Segundo ele, na conversa que teve com a presidente Dilma, defendeu a proibição de advogados atuarem em tribunais em que tenham parentes. "Estamos passando por momento de crise grave. O que a sociedade quer são respostas práticas rápidas", disse. "O Brasil está cansado de reformas de cúpula", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.