Para presidente do STJ, situação é "dramática"

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Paulo Costa Leite, afirmou que "não se pode dizer que a seca pegou o Brasil desprevenido". Ele disse que a situação é dramática: "Falta água, falta comida, falta luz." As declarações foram dadas na abertura da VI Conferência Nacional dos Direitos Humanos, na Câmara dos Deputados. "Quando o interesse de boa parte do mundo se volta para os graves problemas que assolam o Brasil, quando se apagam as luzes das grandes metrópoles e o motor do desenvolvimento ameaça parar o País, o flagelo da seca continua a reduzir a condição humana numa das suas regiões mais pobres", afirmou o ministro. Costa Leite citou recentes notícias de que a seca está produzindo uma guerra entre miseráveis e famintos. "Na Paraíba, as escolas rurais estão sendo invadidas e o produto do saque, acreditem, é a merenda, que deveria aplacar a fome de milhares e milhares de crianças", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.