Gabriela Biló|Estadão
Gabriela Biló|Estadão

Para petistas, decisão da ONU mostra que Moro 'persegue' Lula

A senadora Gleisi Hoffmann, ré na Lava Jato, e o líder do partido na Câmara exaltam prosseguimento dado pelas Nações Unidas a queixas do ex-presidente contra juiz federal

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2016 | 19h14

BRASÍLIA - Parlamentares do PT afirmaram nesta quarta-feira, 26, que a decisão da ONU de aceitar analisar a queixa apresentada pelos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o Estado brasileiro mostra que o petista tem sido perseguido politicamente pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato.

“Isso corrobora com o que nós temos denunciando há muito tempo: que há uma perseguição sem precedentes ao ex-presidente Lula”, disse a senadora Gleisi Hoffmann, que também é ré na Lava Jato.

Segundo o líder do PT na Câmara, Afonso Florence (BA), o Estado brasileiro, especialmente o Judiciário, terá dois meses para mandar esclarecimentos às Nações Unidas. “Esse fato dá ainda mais repercussão internacional em relação às arbitrariedades e perseguição política cometidas contra o ex-presidente”, disse.

O caso foi apresentado à ONU no final de julho. O processo poderia ter sido rejeitado, mas a entidade  optou por aceitar os documentos e dar seguimento. A decisão, porém, não significa uma tomada de posição das Nações Unidas, em relação ao conteúdo da queixa, que ainda será analisada.

No dossiê enviado a Genebra, os advogados de Lula denunciam Moro e os procuradores da Lava Jato por "abuso de poder". O processo também acusa o Judiciário de "parcialidade" e será avaliado com base na Convenção Internacional de Direitos Políticos.

Mais conteúdo sobre:
Lula Sérgio Moro Gleisi Hoffmann

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.