Para Paulo Renato, greve não abala sua candidatura

O ministro da Educação, Paulo Renato Souza, disse hoje que a greve dos professores, que já dura três meses, não deve prejudicar sua pré-candidatura à presidência da República. "Pelo contrário. A avaliação da educação no País até melhorou e eu continuo sendo pré-candidato", avaliou. O ministro acredita também que sua imagem não foi abalada perante os estudantes, que deixarão de completar o ano letivo no prazo esperado. "Só eu estou brigando por eles (estudantes)", revelou o ministro, garantindo ainda que o semestre "não será perdido". Paulo Renato disse ainda que não está evitando falar sobre educação no horário político reservado ao seu partido na TV. "É que já sou conhecido como ministro da Educação e preciso mostrar o que já fiz na área econômica", afirmou.O ministro participou esta manhã, em São Paulo, da assinatura de 186 convênios do Programa Nacional de Transporte do Escolar com prefeituras e ONGs para compra de veículos para transportes de alunos para escolas públicas de ensino fundamental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.