Para Paulinho da Força, impeachment fortalecerá Cunha no Conselho de Ética

Um dos principais aliados do peemedebista diz que 'o processo do Eduardo agora ocorrerá com mais tranquilidade'

Igor Gadelha e Daniel Carvalho, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2015 | 11h49

Brasília - O presidente nacional do Solidariedade, deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (SP), afirmou nesta quinta-feira, 3, que, ao deflagrar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deverá ganhar votos a favor dele no Conselho de Ética da Casa. O peemedebista é alvo de processo por quebra de decoro parlamentar no colegiado, acusado de ter mentido na CPI da Petrobras de que não tinha contas secretas na Suíça.

"O processo do Eduardo agora ocorrerá com mais tranquilidade. (...) Com o impeachment, Cunha ganhará votos de outras partes", afirmou Paulinho. Em entrevista coletiva, ele também defendeu que os presidentes da Câmara e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) suspendam o recesso parlamentar do final do ano, para que a comissão especial que analisará o processo de afastamento de Dilma possa trabalhar no período. Para ele, Renan e Cunha "têm obrigação de botar o Congresso para trabalhar" para termos o "Natal sem Dilma". 

Pouco antes da entrevista de Paulinho, o presidente da Câmara afirmou, também em entrevista coletiva, que já conversou com Renan Calheiros sobre a suspensão do recesso. De acordo com Cunha, o presidente do Senado disse que iria esperar os próximos acontecimentos políticos antes de anunciar sua decisão. O peemedebista ressaltou que a decisão de ambos será tomada em conjunto. A suspensão do recesso precisa ser autorizada pelos presidentes das duas casas legislativas. (Igor Gadelha e Daniel Carvalho)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.