Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Para Patrus, escândalo com assessor não contagia Dirceu

O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, recorreu hoje a um termo jurídico para isentar o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, de qualquer responsabilidade no escândalo envolvendo o ex-subchefe da Assessoria Parlamentar da pasta, Waldomiro Diniz. ?Eu aprendi como advogado e professor de direito que uma das grandes conquistas civilizatórias, jurídicas, é o princípio da individuação da pena. Cada pessoa é responsável por aquilo que faz?, disse Patrus, que ministrou aula inaugural do curso de Ciências Sociais da PUC Minas, cujo tema principal era a ética. ?Não há um contágio pelo fato de a pessoa estar próxima ou ser conhecida ou mesmo amiga. Do contrário, por exemplo, as esposas seriam automaticamente comprometidas com os crimes dos maridos e vice-versa?, argumentou o ministro. Ele classificou de ?completamente inaceitável? as cobranças em torno do afastamento de Dirceu do cargo até que as denúncias sejam apuradas e disse que considera a eventual abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso um ?assunto do Congresso Nacional?. Segundo Patrus, o episódio, ?em princípio? não abala a imagem do partido, pois o governo ?agiu com rigor?. ?Eu acho que também nós podemos sair mais uma vez engrandecidos desse episódio mostrando ao País que qualquer pessoa pode errar. Quando a gente assume um governo não tem como ter o controle de todo mundo?, avaliou.Durante sua palestra, o ministro foi obrigado a voltar ao assunto ao ser questionado por uma aluna presente na platéia. Ele novamente invocou a ?individuação da pena? citando um exemplo histórico. ?Tiradentes, por exemplo, quando foi condenado por querer a liberdade de nosso País, a pena alcançou todos os seus descendentes. Uma conquista jurídica fundamental é essa. Cada um é responsável pelos seus atos. Quem assumiu a responsabilidade do seu ato foi o funcionário, senhor Waldomiro, não há contágio automático com quem quer que seja?, insistiu. Para Patrus, existem pessoas interessadas em enfraquecer o poder do chefe da Casa Civil. ?O ministro José Dirceu é uma pessoa que tem personalidade. Em qualquer time que ele jogue, o presidente disse que ele é o capitão do nosso time, é uma presença importante. É possível que tenham pessoas que queiram enfraquecê-lo e eu penso que isso não é razoável?. O ministro disse que ?ninguém pode ser condenado pela mídia, pelos meios de comunicação?. ?Julgar as pessoas e condenar por uma decisão de um órgão de imprensa é muito delicado?, afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.