André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Para Padilha, lista de Fachin não afeta reforma da Previdência

Alvo de inquérito, ministro da Casa Civil afirma que governo não ficará paralisado por causa da revelação dos inquéritos envolvendo cúpula do governo

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2017 | 19h16

BRASÍLIA - Alvo de inquérito, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que não acredita que a lista do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), vai impactar no andamento da reforma da Previdência. "Não acho que atrapalha", disse, ao chegar para coordenar  uma reunião sobre o relatório da reforma. Padilha disse ainda que o governo não ficará paralisado por conta da revelação das delacoes. "Nós acreditamos que não." 

Informado sobre o encerramento da sessão da Câmara, sem a votação da o projeto da renegociacao da dívida dos Estados, Padilha disse que tinha "poucos elementos" para se manifestar sobre isso. "Não vou poder me manifestar sobre isso. Mas eu acho que está dentro da normalidade", afirmou. 

Defesa. O ministro se recusou a comentar as acusações contra ele que constam no pedido de abertura de inquérito. "Eu não falo sobre isso. Não falo sobre esse assunto. Sobre esse assunto só falo nos autos do processo. Processo a gente fala nos autos do processo", finalizou. 

Ele e Moreira Franco (Secretaria-Geral) são acusados de cobrar propina para irrigar as campanhas eleitorais do PMDB. Os indícios são de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e corrupção ativa. Além dele e de Moreira Franco, outros sete ministros do governo Temer estão na lista de inquéritos de Fachin.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.